Player

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Melhores Álbuns de 2013

3º Living Sacrifice - Ghost Thief


A banda americana, natural da cidade de Little Rock no Arkansas é com toda certeza um dos maiores nomes do rock cristão mundial, porém neste disco não é possível  tal conclusão baseando - se em suas letras, pois a religião não é um tema mencionado de forma direta.
Ghost Thief é o oitavo trabalho de estúdio na carreira da banda, o segundo após saída do hiato de cinco anos (2003 - 2008) e também uma das melhores empreitadas feita por eles. O disco sucessor do Infinite Order lançado em 2010 conta com a participação de Ryan Clark (Demon Hunter), apresenta letras mais atraentes e principalmente um instrumental mais aperfeiçoado. A banda fez uma boa mistura de elementos do Metalcore com o Thrash Metal praticado no início de carreira, o resultado foi uma série de riffs muito interessantes que são responsáveis em fazer que a monotonia imperante em alguns momentos do álbum anterior não ocorra no presente trabalho. 
 O disco abre com a faixa "Screwtape" que conta com Ryan Clark, que também auxiliou na produção do álbum. A música começa de forma bastante lenta e tem o instrumental entrando aos poucos. A letra aborda as obsessões humanas, que muitas vezes leva a caminhos perigosos. 
Em seguida vem à faixa que da titulo ao álbum, "Ghost Thief" faz lembrar o disco anterior, a meu ver a mais fraca do álbum. 
A terceira faixa é "The Reaping", onde as coisas começam a melhorar e o disco começa a mostrar sua face. Possui uma letra interessante que aborda os “caminhos negros” escolhidos em busca do sucesso. 
Na sequência vem "Straw Man" mantém a mesma pegada, porém possui uma letra um tanto quanto fraca. 
Em seguida  "Sudden" deixa a qualidade cair um pouco, sua letra aborda a saudade provocada pelo falecimento dos entes. 
"Mask" é um divisor do álbum, a partir desta as musicas ganham ainda mais qualidade, principalmente tratando - se do instrumental. 
Em seguida vem "American Made" um dos pontos altos do álbum. Trata - se de uma crítica ao modo americano de viver, com direito a um dos melhores solos de guitarra do trabalho. 
Na sequencia "Before" inicia - se dando a entender que vai ser uma das mais pedradas do play, porém o empolgante riff que inicia não é suficiente para manter a pegada.
A nona e penúltima faixa "You War" mantém o que a anterior não consegue, o ritmo forte vai do início ao fim e novamente a guitarra volta a ser o destaque.
Por fim "Despair" fecha o disco com chave de ouro, a melhor faixa do álbum. Logo no começo a guitarra da a entender a que veio, ouso dizer que a música pode inclusive ser confundida com qualquer uma do Slayer, a parte inicial principalmente.
Ghost Thief não é um álbum inovador que vai mudar as nossas vidas porém é um bom disco que merece a chance de ser ouvido, principalmente por aqueles que gostam do gênero. 
Living Sacrifice:
Bruce Fitzhugh - vocais, guitarra
Lance Garvin - Drums
Rocky Gray - guitarra, vocal
Arthur Green - baixo, vocais
Gravadora: Solid State Records
Faixas:
1 - Screwtape
2- Ghost Thief
3 - The Reaping
4 - Straw Man
5 - Sudden
6 - Mask
7 - American Made
8 - Before
9 - You War
10 - Despair



Living Sacrifice - Ghost Thief 
The American band from the city of Little Rock in Arkansas is surely one of the biggest names in Christian rock , but this disc , as in most of their songs is not possible to reach such a conclusion based on having the lyrics , since that religion is not mentioned directly.
Ghost Thief is eighth unpublished work in the band's career , and the second exit after the hiatus (2003 - 2008) , is surely one of the best works done by them . The successor disc Infinite Order ( 2010) with the participation of Ryan Clark ( Demon Hunter ) and presents the most attractive letters , and especially a more advanced instrument . The band did a fine blend of elements of metalcore with thrash metal 's early career, resulting in demolition riffs , so the monotony that prevailed at times in the previous album, where some songs became repetitive , do not appear on this disc .
 The start of play with Screwtape track , which features Ryan Clark , who also assisted in the production of the album . The song starts very slowly and has gradually entering the instrumental has a letter that addresses the human obsessions , which often leads to dangerous paths . Then comes the title track of the album. Ghost Thief , the song reminds the previous disc does not refer to a "creative " instrumental, in my view the weakest on the album. The third track is The Reaping , where things begin to improve , and the disc is " gaining face " , an interesting letter that discusses the "dark path" chosen in pursuit of success . In the sequel comes Straw Man music that keeps the same footprint , but has a somewhat weak letter . Then comes the Sudden , leaving the quality drop a bit , the letter speaks of the void left by those who will . The sixth track Mask is a divisor of the album , since the songs from this win even more quality , mainly dealing - is instrumental . Next is American Made , another self of the album , a critique of the American way of life , complete with one of the best guitar solos on the album. Before starting on the sequel - is hinting that it will be one of the stones of the play , but exciting riff that starts and monitors all the music is no longer sufficient to keep the footprint . The ninth and penultimate track You War keeps the previous failed , the pace is maintained from start to finish , the guitar back again to highlight - if . Finally Despair closes the disc with a golden key , the best song on the album is catchy from beginning to end , early in the guitar came to understand that , I dare say that music can - if even be confused with any of the Slayer , especially the early part .
Ghost Thief is not a groundbreaking album that will change our lives however is a good album that deserves a chance to be heard , especially by those who love the genre, but until the most critical why not ? After all it's always good to learn new things .










Nenhum comentário:

Postar um comentário